30.9.01


Conforme o prometido mais cedo (leiam post abaixo), o artigo sobre Hemingway já está no Lanceiro Livros. Boa leitura!

Salve, Jorge! - O Jorge Rocha, um dos criadores da garota Sete Zoom, lê o Lanceiro. ele também é co-editor da ótima revista digital Mão Única. Um dos colaboradores é o Ronaldo Bressane, editor da RevistaA, para quem já colaborei no número 2, com o conto Alienígenas (ainda inédito no meio impresso) e o artigo Hemingway e a literatura em pé de guerra. (Ambas as peças sofreram, segundo Bressane, uma pequena edição, mas a versão integral do artigo sairá no Lanceiro Livros por estes dias.) Obrigado pelos elogios, Jorge!! Retribuo aqui: a Mão Única é de primeira, e como diz o nome, só leva você em uma direção: ela se chama qualidade. Confiram.

O Edney colocou ambos os lanceiros em sua lista de blogs visitados (somam mais de 660 até agora, é impressionante). Valeu, Edney!

Quem também colocou os Lanceiros em seus links foi a Luzinha Franzoi. Valeu, Luzinha!

Pra terminar, uma reflexão colhida no Blog do Engenheiro:
Você,que está lendo este Blog neste momento,e está reclamando que sua conexão está lenta,que a programação de domingo na TV é uma bosta,que não consegue abrir o email do BOL...Pense nos caras que estão no CU do Afeganistão,sem TV,sem internet,sem email e sem telefone...Às vezes a gente reclama de barriga cheia (é lógico que eu também me incluo nisto!).
O Montesano também é leitor e fã dos Lanceiros, especialmente do Lanceiro Livros. Obrigado, engenheiro!!

29.9.01

Dica urgente para quem está no Rio: não deixem de ver Copenhagen. O texto de Michael Frayn - vencedor de 2000 do Tony, o "oscar" do teatro americano - ganhou uma excelente tradução de Aimar Labaki e interpretações primorosas de Oswaldo Mendes, Selma Luchesi e Carlos Palma. A história gira em torno do famoso reencontro entre o físico dinamarquês Niels Bohr (um dos pais da teoria atômica moderna) e seu ex-discípulo, Werner Heisenberg (o criador da mecânica quântica e do famoso Princípio da Incerteza, que leva seu nome) em setembro de 1941, na capital da Dinamarca, então ocupada pelos nazistas. Ex-amigos, agora em lados diferentes, Bohr e Heisenberg saem para um passeio - mas ninguém jamais soube o que eles conversaram então.

O jornalista e escritor inglês Michael Frayn propõe uma resposta - ou várias. Com base nas próprias teorias que os dois eminentes cientistas abraçaram ao longo de suas carreiras, Copenhagen consegue realizar um feito brilhante e dificílimo: conjugar ciência e arte de um modo bonito e fácil de entender. "Em língua de gente", como diz a personagem de Niels Bohr na própria peça. Copenhagen lembra outro texto já clássico do teatro, O encontro de Descartes com Pascal, de Jean-Claude Brisville, levada aos palcos brasileiros em 1987 com Daniel Dantas e Ítalo Rossi. Mas enquanto o encontro dessas figuras clássicas do século XVII era sempre contido entre os limites de uma certa racionalidade, o de Bohr e Heisenberg explode em monólogos comoventes, diálogos instigantes, aulas de ciência, ética e humanidade numa impressionante construção de texto e encenação.

A peça vai ficar em cartaz na Casa da Ciência, no Rio de Janeiro, até o dia 28 de outubro. No dia 2 de outubro, haverá um debate sobre Ética, Ciência e Sociedade tendo a peça como base. Eu estarei lá, e também vou assistir a Einstein, monólogo de Gabriel Emmanuel que rendeu a Carlos Palma (o Heisenberg de Copenhagen) o Prêmio Mambembe de melhor ator no ano passado.

Infelizmente ainda não existe um site da versão brasileira da peça, mas para quem sabe inglês, a que passou na Broadway tem. Ouvi dizer ontem que em breve haverá um site com informações sobre a peça em português, e que a tradução de Aimar Labaki será publicada em livro. Vamos torcer, vale a pena.

28.9.01

Ah, o probleminha do Yahoo foi resolvido. Eu não sabia, mas mesmo sendo o moderador, eles mandam para mim um pedido de confirmação da mensagem, pode um negócio desses?? E ainda mandam pelo Yahoo, ou seja, eu tenho que abrir a pasta de mensagens pra saber se tem alguma pendente.

Putz, não sou lá tão versado assim em Internet, mas também não sou nenhum neófito nebuloso do Nilo (essa eu tirei de um gibi antigo do Pato Donald, que naqueles tempos - anos 70, ah, os anos 70! - também era cultura! ;-D

Ah, mas quem quiser se cadastrar pode fazê-lo enviando um mail (está na coluna da esquerda).

Hoje é o dia da atualização semanal do Lanceiro Livros (semanal em termos de crítica - mas os dropes são diários), mas estou tendo problemas com o Yahoogroups, e ninguém recebeu a newsletter até agora. Esses problemas me acompanham desde antes do takeover do egroups pelo Yahoo, e parece que as coisas não mudaram desde então. Bom, os leitores que se cadastraram me aguardem, que já estou enviando a newsletter manualmente. E se alguém ficou de fora, entre em contato que eu cadastro. E, como dizia Chico, mesmo com toda encrenca, todo problema, todo sistema, toda Ipanema, a gente vai levando (que a gente não tem cura!)

Ouvindo no Winamp: Sneaker Pimps, Becoming X. Eta grupinho bom de trip-hop! Destaque para Walking Zero, que tem um violino de arrepiar, parece coisa do Nigel Kennedy. Mas não me perguntem os créditos, que eu baixei tudo deles (inclusive Velvet Divorce, a música de abertura do filme For a Life Less Ordinary, do Danny Boyle) pelo Audiogalaxy.


27.9.01

Registros do Blogoverso


Não, quem cunhou o neologismo acima não foi o degas aqui (gostaram do arcaísmo pra contrabalançar?), mas sim o Hefestus, do Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos, no seu post de terça. (Eu mudaria um pouquinho o termo pra Blogverso ou Blogueverso, mas aí também já é deformação profissional de tradutor). Ele registra um dado interessante, para fazer pensar. Reproduzo um trecho:

"Me lembro que logo que iniciei o meu blogue tive um debate com o Frizon sobre essa proliferação, e eu já havia comentado com ele, mais ou menos no instinto, o quanto o caminho que os blogues poderiam tomar seria parecido com o das revistas: a segmentação. Dêem uma olhada em bancas de revista: centenas de títulos diferentes sobre qualquer assunto imaginável. revistas mensais sobre assuntos dos quais eu não sei como eles desencavam material para sequer um único artigo, quanto mais para várias edições. Notei que os blogues estão assim."

E ele cita, entre outros, os blogs do Sergio Faria, da Jackie Miller, da Cora e este que vos digita. Só não concordo com uma coisa que ele diz mais adiante:

"Uma nova mídia. Com problemas de acesso justamente pela diversidade oferecida. Tantas opções que equivalem a nenhuma (...)"

Ok, peguei esse trechito quase fora de contexto, porque ele logo em seguida elogia a oportunidade que temos de selecionar entre tantos assuntos. Mas é importante lembrar: muito não equivale a nenhum. Ainda bem que os blogs estão, neste grande Big Blog Bang (olha outro termo aí - e este é de minha autoria mesmo), se diversificando e deixando de ser apenas - sem nenhum demérito - diários estritamente pessoais.

E vive la différance! ;-D


Ah, ontem, novo recorde de acesso ao Lanceiro Livre!! Muito obrigado a todos os freqüentadores assíduos!!!

26.9.01


Recorde de visitas ontem aqui no Lanceiro Livre. Este humilde blogueiro agradece penhorado. Valeu, pessoal!

Da série Encontros com Blogs Notáveis: o Sergio Faria, do Catarro Verde, lê o Lanceiro Livre. E a minha amiga Adriana, vulgo Marina W., dona do melhor sebo que havia cá em terras cariocas no começo da década de 90, o Vira-Lata, também é blogueira: confiram o trabalho superbacana dela no BloWg. A nossa querida bloguista social Jackie Miller, sempre de olho no lance, registrou o reencontro virtual, que aconteceu na lista Blogueiros. Valeu, Jackie!

A realidade é uma caixinha de surpresas, e nem sempre tem algo de agradável dentro dela. Imprescindível ler o post de ontem do Franco Atirador, do Lúcio Manfredi, e suas elocubrações a partir de um texto publicado na Folha no último domingo, comparando a overdose de realidade que os americanos andaram tendo à situação vivida pelo personagem de Keanu Reeves em Matrix. Faz mais sentido do que parece, à primeira vista.
Dica para o restinho de setembro e o começo de outubro: não percam Mar Sem Fim, documentário sobre a viagem de circunavegação da Antártica do navegador Amyr Klink. Imagens belíssimas do continente gelado, trilha musical comovente, enfim um trabalho de peso, emocionante sem ser piegas, sob a uma direção competente de Brenno Silveira, do pessoal da Conspiração Filmes, responsáveis por alguns filmes de primeira dos últimos anos, como Gêmeas.

Hoje - dia 26 - o documentário será reprisado às 6h e às 14h, e no dia 27, às 2h. Mas, além disso, o programa ainda será exibido mais 8 vezes ao longo das próximas duas semanas. Vale a pena, assim como também é imprescindível ler o livro. Eu tive a sorte de entrevistá-lo para o portal de business Vento, que patrocina seu barco mais recente (confira a entrevista aqui) e pude conferir o que já dá pra ver pelo documentário: Amyr é um cara simples, sem frescuras, que ama o que faz e faz o que ama. E é um cara legal.



Renée, do Curly, e o Dênis, do Concatenum, lêem o Lanceiro. Obrigado pelo post, Renée! Valeu pelo e-mail, Dênis!

E o Paulo Bicarato, colega de várias listas, colocou a mim e a Renée no mesmo post do seu Alfarrábio, por um motivo muito engraçado: os blogs estão dando cria!! E é verdade, como podem provar o HQ, que eu citei aqui ontem, e o meu Lanceiro Livros (que está sendo atualizado diariamente, não deixem de conferir).

25.9.01

Novo blog na praça: o HQ (como é que ninguém tinha pensado nisso antes?), criado pela Renée, uma das meninas do Curly. Despretensioso, sem nenhum papo, só com tirinhas da melhor qualidade. Quem gosta da Radical Chic, da Mafalda e do Calvin não pode deixar de fazer uma visitinha.

24.9.01

Desculpe, pessoal, mas hoje estou meio umbilical. Volto de viagem cansado mas muito feliz: descubro que muita gente boa anda lendo e recomendando o Lanceiro. O Charles Pilger, meu colega das listas Palíndromo e IA-BR e editor do ótimo blog Charles? Que Charles? lê o Lanceiro Livre e o colocou em sua lista de favoritos. Valeu, Charles. Espero que goste também do Lanceiro Livros.

E o meu amigo Lúcio Manfredi decidiu sair da casca e criou um blog que já nasceu um clássico: é o Franco-Atirador. Junto com o da Cora, é o que na minha opinião está produzindo os textos (e indicando outros) mais pertinentes sobre a crise nos EUA e no Oriente Médio. Vale a pena ler uma análise lúcida e objetiva desse fã emérito de Philip K. Dick.

E o Dauro Veras manda avisar que colocou um post a respeito do Lanceiro Livros no seu blog e também um link. A parte ruim (para nós, cariocas) é que o Dauro já está mesmo na contagem regressiva para voltar para Floripa, agora no dia 29! Dauro, e o nosso chope que você prometeu? ;-)

Ah, eu estou no projeto Janelas do Mundo. E você?